A evasão escolar em questão no Brasil

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A evasão escolar em questão no Brasil”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO 1

A evasão escolar é uma das principais violações de direitos de crianças e jovens. Os motivos são muitos: trabalho, desinteresse, gravidez precoce e violência. O problema fica ainda maior na transição do Ensino Fundamental para o Ensino Médio e no próprio Ensino Médio. Segundo levantamento realizado pelo Todos pela Educação, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2015, é preocupante o crescimento muito tímido no porcentual de atendimento escolar entre 15 e 17 anos, sendo de 78,8% para apenas 82,6%, de 2005 a 2015. De acordo com o mesmo estudo, no Brasil, 2,5 milhões de crianças e jovens ainda estão fora da escola.

Disponível em: https://emais.estadao.com.br/blogs/bruna-ribeiro/respeitar-o-jovem-para-que-ele-nao-saia-da-escola-evasao-escolar-juventude/

 

TEXTO 2

Evasão escolar: o papel do gestor na retenção dos alunos

Imagine a seguinte situação: aos 15 anos, Gabriel não vai continuar os estudos. Ele tem dificuldades de aprendizagem e não vê como as matérias ensinadas na escola vão ser úteis no seu dia a dia. Por incrível que pareça, essa é a realidade de milhares de crianças espalhadas pelo país.
A taxa de evasão escolar no Brasil é a terceira maior do mundo: em média, 24,1% dos alunos, como Gabriel, não concluem o Ensino Fundamental até os 16 anos. Em uma lista com os 100 países com melhor IDH no mundo, o resultado só não é pior que o da Bósnia e o das ilhas São Cristóvão e Névis, no Caribe.

Para se ter uma ideia da gravidade da situação brasileira, 40,8% dos jovens não concluem o Ensino Médio até os 19 anos – ou seja, quase metade dos jovens não concluem a Educação Básica na idade adequada. Os motivos são vários, englobando desde as dificuldades financeiras que obrigam o estudante a trabalhar, até a falta de interesse ou motivação pelo processo de aprendizagem.
Mesmo com esse cenário desfavorável, de difícil resolução, e que depende de medidas enérgicas do poder público, algumas atitudes de um bom gestor escolar podem ajudar a melhorar essa situação. No entanto, antes de conhecê-las, é preciso entender em maior detalhe os fatores que geram a evasão escolar e quais são as consequências que decorrem dessa prática.

Fatores que geram a evasão escolar no Brasil

Conforme mencionado, as causas que levam à evasão escolar são numerosas e variadas. As razões mais frequentes abrangem a ausência de interesse pela escola, os transtornos ou dificuldades de aprendizagem, a necessidade de trabalhar, a falta de estímulo familiar, as questões de saúde, os problemas com o acesso ao estabelecimento de ensino, entre outras.
O primeiro motivo está diretamente ligado ao contexto educacional em que o aluno está inserido e existem diferentes razões associadas a ele. A ausência de interesse pela escola pode ser ocasionada por diversos fatores, entre os quais estão a proposta pedagógica da escola, o tipo de metodologia empregada pelos professores e a adoção de práticas que privilegiam o produto da aprendizagem, mas que pouco se ocupam do processo. Em geral, são posturas que não colocam o aluno como protagonista.
As dificuldades de aprendizagem também podem ser de natureza múltipla. A defasagem de competências e habilidades que já deveriam ter sido desenvolvidas em anos anteriores, a incompatibilidade entre o método de ensino docente e os nível de aprendizagem dos alunos, bem como a falta de investimento em tecnologias que facilitam o processo educacional são os principais fatores associados.

No que se refere a outras causas apontadas, como os transtornos de aprendizagem, a falta de estímulo familiar e os problemas com o acesso ao estabelecimento de ensino, embora não estejam diretamente ligadas à escola, podem receber a intervenção desta. Isso é possível por meio de ações mediadoras por parte da instituição com a finalidade de minimizar esses tipos de condições desfavoráveis.

As principais consequências da evasão escolar

A evasão escolar traz consequências tanto para o aluno que evade quanto para a instituição em que ele estava estudando. O estudante que deixa de estudar pode não ter mais motivação ou mesmo condições para voltar à sala de aula, o que leva ao despreparo profissional formal e tende a ocasionar maiores dificuldades de inserção no mercado de trabalho. Soma-se a isso a sua privação aos processos de letramentos acadêmicos oferecidos somente na escola e essenciais ao exercício da cidadania.
No caso da instituição de ensino, a evasão contribui negativamente para o cálculo das taxas de rendimento escolar, pois esses índices têm como base o somatório do número de estudantes aprovados, reprovados e evadidos em um dado ano letivo. Tais taxas são de suma importância para a escola, uma vez que são usadas para o cálculo do Ideb – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica –, fundamental para o monitoramento da qualidade da instituição. (…)

Disponível em: shorturl.at/nGNV0

 

TEXTO 3

Você pode gostar de

Deixe um comentário