Libertadores e simbolismo histórico

No ano de 2018, ao chegar no estádio para a partida que decidiria o vencedor do campeonato Libertadores, o ônibus da delegação do Boca Juniors passou por uma multidão de torcedores do time rival argentino, o River Plate. O veículo foi apedrejado e alguns jogadores se machucaram, o que levou a CONMEBOL (órgão responsável pela competição) cancelar a partida e remarcá-la. O evento causou muita polêmica à época e diversas críticas foram dirigidas devido ao simbolismo histórico.

O jogo foi remarcado para o próximo dia 9 de dezembro, o que já era suficiente para causar intrigas, porém o que mais chocou a todos foi o local de realização da partida: Espanha. Com alegações de tornar a final mais segura, a direção da CONMEBOL decidiu levar o resultado da Libertadores para Madrid. Os inúmeros torcedores que tinham ido para o estádio no dia da confusão não teriam mais a oportunidade de ver a realização do jogo.

Tá, mas o que isso tem a ver com História? O próprio nome da competição, Libertadores, faz homenagem às lideranças das independências das Américas, como Simón Bolivar, José de San Martin, José Artigas, entre outros. No entanto, muitos consideram uma afronta ao próprio intuito da competição – que é valorizar o futebol americano como uma cultura própria – levá-la em especial para a Espanha, antiga metrópole de países das Américas, o que representaria exatamente o oposto de tudo o que a competição significa.

Desde o século XV até o XIX, países que hoje são Equador, Venezuela, Peru, Bolívia, Argentina, Paraguai, Uruguai, entre outros, eram colônias do Império espanhol. O simbolismo do evento marcava a valorização dessas lutas por independência e que na próxima semana será desconstruído pela realização do jogo mais importante da competição (a final) em território europeu, em especial espanhol.

Como essa temática pode ser utilizada na redação?

  • Novamente trazemos para o Blog uma sugestão de tema envolvendo o futebol para mostrar como o esporte pode ser um campo que suscita debates mais profundos.
  • Uma boa abordagem desse assunto é trazê-lo para o debate de simbolismos, mostrar como um evento, como a final da Libertadores ser disputada em terras europeias, desvirtua-se da noção de uma independência cultural latina ou formação de uma identidade latina frente a um etnocentrismo europeu.

Você pode gostar de

Deixe um comentário